Junho, mês do amor

Quando vai chegando junho, alguns pensam nos trabalhos de fim do semestre, outros na proximidade das férias, e até das festas juninas. Mas há algo que ninguém esquece: o Dia dos Namorados.

A origem do dia dos namorados está ligada a São Valentim, bispo que no século III desobedeceu a ordem do imperador que proibia a realização de casamentos em período de guerras. Por realizar os casamentos, e ajudar os apaixonados, Valentim foi preso e condenado a morte. Antes de ser decapitado, muitos jovens jogavam flores e bilhetes mostrando ainda acreditarem no amor. Por isso, é comum em outros países, especialmente os de origem anglo-saxã, a troca de presentes ou cartões entre aqueles que se amam, sejam namorados ou amigos, no dia 14 de fevereiro, data de sua morte. Ao ser trazida ao Brasil, a comemoração é feita em 12 de junho por ser véspera do dia de Santo Antônio, frei que sempre destacava a importancia do amor em suas pregação, e hoje carrega a fama de santo casamenteiro.

Os comprometidos precisam encontrar presentes, os solteiros, um amor, e para aqueles que estão apaixonados ou querem se apaixonar, separamos alguns pequenos textos.

O Amor…

É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos.
Avassalador para os apaixonados!
Mas, os vencedores no amor são os
fortes.
Os que sabem o que querem e querem o que têm!
Sonhar um sonho a dois,
e nunca desistir da busca de ser feliz,
é para poucos!!

Cecília Meireles

Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve…

Cecília Meireles

As Sem – Razões do Amor

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
E nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
E com amor não se paga.
Amor é dado de graça
É semeado no vento,
Na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
E a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
Bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
Não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
Feliz e forte em si mesmo.
Amor é primo da morte,
E da morte vencedor,
Por mais que o matem (e matam)
A cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade

Amor é isto: a dialética entre a alegria do encontro e a dor da separação. De alguma forma a gota de chuva aparecerá de novo, o vento permitirá que velejemos de novo, mar afora.
Morte e ressurreição. Na dialética do amor, a própria dialética do divino.
Quem não pode suportar a dor da separação, não está preparado para o amor. Porque o amor é algo que não se tem nunca. É evento de graça.
Aparece quando quer, e só nos resta ficar à espera. E quando ele volta,a alegria volta com ele. E sentimos então que valeu a pena suportar a dor da ausência, pela alegria do reencontro.

Rubem Alves

Nunca diga te amo se não te interessa.
Nunca fale sobre sentimentos se estes não existem.
Nunca toque numa vida se não pretende romper um coração.
Nunca olhe nos olhos de alguém se não quiser vê-lo se derramar em lágrimas por causa de ti.
A coisa mais cruel que alguém pode fazer é permitir que alguém se apaixone por você quando você não pretende fazer o mesmo.

Mario Quintana

E os clássicos sonetos de amor, que não perdem seu valor:

Soneto da fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luis Vaz de Camões

Quem quiser ler mais poemas de amor, histórias de amor, ou livros sobre amor, há muitos deles na nossa biblioteca. Alguns deles, com suas respectivas localizações:

E por Falar em Amor, Marina Colasanti 158.1 C65e 7.ed. 63.616
Anatomia do amor :a história natural da monogamia, do adultério e do divórcio, Helen E. Fisher 306.7 F565a 45.158

Para viver um grande amor, Vinicius de Moraes B869.91 M824p 18.ed. 33.617
Sedução : o amor inconsciente, Daniel Sibony 154.3 S566s 33.177
O Amor romântico e outros temas, Dante Moreira Leite 869.9 L551a 3.ed. 65.102
Sessenta sonetos de amor, Florbela Espanca 869 E73s 62.152
Os melhores contos, Lygia Fagundes Telles  B869.93 T275m 58.314
Histórias de amor, Julia Kristeva 152.4 K93h 34.356
Cartas de amor, Monteiro Lobato B869.6 L778c 291
O ignorado amor, Theophile Gautier  843 G241i 58.917
 Para viver um grande amor, Ailton Amélio e Monica Martinez 158.2 A534p 76.101
Talvez uma história de amor, Martin Page 843 P149t 74.075
 Cartas de amor de pessoas famosas, Anotadas por John Fostini 816 C314 20.184
Amor de Capitu : o romance de Machado de Assis sem o narrador Dom Casmurro : recriação literária, Fernando Sabino B869.3 S121a 61.953
O mapa do amor : tudo o que você queria saber sobre o amor e ninguém sabia responder, Ailton Amélio
O amor de Mau Humor, Ruy Castro B8697 C353a

Anúncios

3 pensamentos sobre “Junho, mês do amor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s