25 de julho – Dia do Escritor Brasileiro

“A leitura é uma fonte inesgotável de prazer mas por incrível que pareça, a quase totalidade, não sente esta sede.”
Carlos Drummond de Andrade

Um livro é capaz de nos fazer viajar, sonhar, torcer, desejar, rir, chorar, temer… Desde o século XVI, com a chegada dos portugueses ao Brasil, a literatura brasileira começou a se desenvolver e a colaborar para a criação de histórias que fazem parte não só da vida dos brasileiros, como também de leitores por todo o mundo.
Quem nunca ouviu falar de José de Alencar, criador de Iracema, a índia dos lábios de mel? Quem não reconhece a importância de Machado de Assis, que escreveu o ciúme mais lembrado da literatura brasileira? Desde 1960, o dia 25 de julho homenageia esses e outros escritores brasileiros. A data está relacionada ao I Festival do Escritor Brasileiro, organizado por João Peregrino Júnior e Jorge Amado, respectivamente, presidente e vice-presidente da União Brasileira de Escritores na época. Os escritores brasileiros, os dos livros do colégio e os atuais, não são menos envolventes que os estrangeiros, seja poesia, ficção, romance, teatro, comédia, os brasileiros deram sua colaboração. Esse dia 25 de julho é para lembramos da importância dessa figura na história do Brasil e de seu papel e seus desafios hoje.

“Um livro é um brinquedo feito com letras. Ler é brincar.”
Rubem Alves

“Quando abro a cada manhã a janela do meu quarto
É como se abrisse o mesmo livro
Numa página nova…”
Mario Quintana

“Dupla delícia/ O livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhado.”
Mario Quintana

“Faço o possível para escrever por acaso. Eu quero que a frase aconteça. Não sei expressar-me por palavras. O que sinto não é traduzível. Eu me expresso melhor pelo silêncio. Expressar-me por meio de palavras é um desafio. Mas não correspondo à altura do desafio. Saem pobres palavras.”
Clarice Lispector

“Escritor: não somente uma certa maneira especial de ver as coisas, senão também uma impossibilidade de as ver de qualquer outra maneira.”
Carlos Drummond de Andrade

“Amo a minha vocação, que é escrever. Literatura é uma vocação bela e fraca. O escritor tem amor, mas não tem poder.”
Rubem Alves

“Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundos, mas com tamanha intensidade que se petrifica e nenhuma força consegue destruir”.
Carlos Drummond de Andrade

“Não podemos acrescentar dias à nossa vida, mas podemos acrescentar vida aos nossos dias”
Cora Coralina

“Não precisa correr tanto; o que tiver de ser seu às mãos lhe há de ir”.
Machado de Assis

Para aqueles que quiserem ler obras de escritores brasileiros, a biblioteca oferece muitas opções no acervo.

Jorge Amado
Tereza Batista cansada de guerra – B869.3 A494t
O Amor do Soldado – B869.3 A494a

Alvares de Azevedo
Poesias Completas – B869.1 A986p 2 ed.

Vinicius de Moraes
Para viver um grande amor – B869.1 M824p 18 ed.

Carlos Drummond de Andrade
Amar se aprende amando – B869.91 A566a
Esquecer para lembrar – 808.0981 A566e

Dalton Trevisan
Cemitério de elefantes – B869.3 T739c
A polaquinha B869 T739p

Paulo Lemiski
Vida : Cruz e Sousa, Bashô, Jesus e Trótski – B869.3 L571v

Martha Medeiros
Doidas e Santas – B869.3 M44d

Cora Coralina
Vintém de cobre : meias confissões de Aninha – B869 C795v

Machado de Assis
Memórias Postumas de Brás Cubas – B869.3 A866m
Várias Histórias – B869.3 A866v

Clarice Lispector
A hora da estrela – B869.3 L753h

Ariano Suassuna
Auto da Compadecida – 792.0981 S933a

Ferreira Gullar
Antologia Poética – B869 G983a
Para gostar de ler – poesias – B869.9308 P237

Lygia Fagundes Teles
O jardim selvagem – B869.3 T275j
Melhores Contos – B869.93 T275m

Euclides da Cunha
Os sertões – B869.3 C977s 27 ed.

Graciliano Ramos
Vidas Secas – B869.3 R143v 37ed.
Memórias do Cárcere – B869.3 R143m

Paulo Coelho
Diário de um mago – B869.3 C619d
As Valkirias – B869.3 C619v

Mario Quintana
Apontamentos de história sobrenatural – B869.1 Q68a

Anúncios

4 pensamentos sobre “25 de julho – Dia do Escritor Brasileiro

  1. Pingback: Dia Nacional do Escritor | Mensagem Pública

  2. Pingback: Dia Nacional do Escritor | Mensagem Pública

  3. Este ano não estou participando do desafio de ler 50 livros, mas sabe que não estou tão longe??? Sugiro Machado e Veríssimo. Aliás, quem tá afim de participar do Clube da Leitura?

  4. Eu indico “Infância” do Graciliano, acho esse livro muito lindo.
    Agora estou lendo “O clube dos anjos” de Luis Fernando Verissimo, é sobre a gula, um dos 7 pecados capitais…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s