Como montar sua biblioteca pessoal – parte 1

Se você é fã de livros, não importa o tipo, e, além de recorrer à Biblioteca, você também gosta de comprá-los, já deve ter uma coleção deles. Quem tem uma quantidade razoável de livros costuma enfrentar principalmente dois problemas: como organizá-los fisicamente, e como saber quais possui quando alguém pedir emprestado. Eu, particularmente, enfrento mais um: que livros estão na minha casa e quais estão na casa dos meus pais? Acredito que essa terceira dúvida não é só minha. Assim, vamos descobrir juntos como organizar uma biblioteca pessoal da maneira mais adequada a cada caso.

O primeiro passo é a seleção. Você precisa saber o que deseja manter e o que precisa ser jogado fora. O grau de dificuldade dessa etapa dependerá do quanto você for apegado às suas coisas e o quanto de livros você tem. O que deve ser considerado para decidir o que vai e o que fica:

Quanto espaço eu tenho para organizar meus livros?

Como espaço não deve ser considerado o maleiro, ou uma caixa que cabe num cantinho da garagem. A ideia é que seus livros fiquem organizados e de fácil acesso para você utilizá-los ou para poder emprestá-los.

Qual é o estado de conservação desse material?

Um livro danificado por fungos pode contaminar outros livros “saudáveis” e em vez de ter uma coleção maior, você terá uma coleção pior.

Esse material ainda tem utilidade?

Se você já saiu da escola, as apostilas não servem mais. Até mesmo livros do ensino médio não tem muita utilidade, a menos que seja professor, ou estude licenciatura. Se você está pensando neles como fonte de consulta para quando surgirem dúvidas, uma boa pergunta para se fazer é: Quando foi a última vez que consultei um desse livros de história quando quis lembrar o nome dos revolucionários franceses que mandaram Luis XVI para a guilhotina? Você não precisa separar todos os livros que usou no colégio, mas é importante priorizar de acordo com o espaço e a utilidade deles. Se você também guarda cadernos e folhas de fichários pense quantas vezes os consultas. “Raramente ou nunca” é um bom sinal para mandá-los a reciclagem. Se alguns livros são pouco consultados mesmo tendo índice, a chance de procurar (e encontrar) algo que queira lembrar na sua coleção de cadernos é minúscula.

Isso teria uma utilidade maior a mais alguém?

Por exemplo, se você tiver uma coleção de livros infantis que não lê nem empresta mais e conhece uma criança, escola ou biblioteca pública infantil que aproveitaria muito mais esse tipo de livro, talvez seja o momento de passar para frente. O mesmo vale para aqueles livros que leu, não gostou e não pensa em reler e nem recomendaria a alguém. Talvez, uma biblioteca pública ou um sebo aceite a doação. (Lembre-se de consultar por telefone antes, para não perder a viagem.)

Caso o seu espaço para os livros seja restrito, você certamente fará mais de uma triagem, tirando, num primeiro momento, o que já pensava em descartar, e em seguida, refazendo a seleção para adequar a quantidade ao espaço. Talvez até mesmo encontre livros duplicados (um que comprou e outro que ganhou de presente), e terá que decidir que exemplar merece ficar. Nesse processo, é legal lembrar que os livros só merecem ficar escondidos em caixas em dias de mudança.

Devo jogar todo material que não quero fora? Não! Cadernos, papéis, e livros rasgados devem ir para a reciclagem. Livros em bom estado podem ser doados a bibliotecas e vendidos ou doados a sebos. Caso conheça alguém que goste de livros e que se interessaria por aqueles que quer passar adiante, também está valendo. O importante é que aqueles que estiverem bom sejam úteis a alguém.

 A minha biblioteca pessoal

Parte da pequena coleção apertada numa mesa de computador.

Parte da pequena coleção apertada numa mesa de computador.

Como moro em Bauru há mais de quatro anos, meus livros estão divididos entre a minha casa e a dos meus pais. Aqui, eu tenho pouquíssimo espaço para eles, apenas uma mesa de computador que serve de pequena estante, onde ficam cerca de 50 livros. E para eles caberem em tão pouco espaço, significa que alguns deles ficam escondidos, ou apertados, o que não é nada bom. Na casa dos meus pais, o problema é outro, há um espaço dedicado aos livros, mas há livros DEMAIS, já que lá ficam o restante dos meus livros, parte dos livros do meu pai, além de suas revistas e materiais diversos em caixa e desorganizados. Enquanto eu postar aqui como montar sua própria biblioteca, estarei tentando organizar a minha.

Um caso real - A biblioteca pessoal compartilhada com meus pais.

Um caso real – A biblioteca pessoal compartilhada com meus pais.

Hoje eu falei sobre a seleção de materiais, no restante dessa série de posts, você irá descobrir como organizar fisicamente, como identificar fisicamente, como organizar as informações sobre seu livro no computador, facilitando até mesmo o empréstimo entre amigos.

Se você já possui uma biblioteca pessoal organizada ou tem sugestões para esse ou para os próximos posts, deixe um comentário.

Camila Oliveira

Anúncios

4 pensamentos sobre “Como montar sua biblioteca pessoal – parte 1

    • Obrigada, Érico, que bom que gostou.
      Espero que os posts sejam úteis para quando quiser organizar sua biblioteca.

  1. Pingback: Como montar sua biblioteca pessoal – parte 3 | Biblioblog Unesp Bauru

  2. Pingback: Como montar sua biblioteca pessoal – parte 2 | Biblioblog Unesp Bauru

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s