Centenário Vinícius de Moraes

centenario.jpg

De 18 a 30 de novembro
Exposições:
Poesias de Vinicius de Moraes em cordel
Poesias ilustradas
Algumas obras de Vinicius de MoraesConcurso de poesia: Tema livre22/11 – 15h – Clube de Leitura

19 e 26/11 – 15h e 20h – Sessão de Cinema – “Orfeu” com Toni Garrido e Patrícia França
25/11 – 9h – Contação de história com as crianças do CCI
27/11 – 18h – Sarau

Regulamento do concurso de Poesia “100 anos de Vinícius de Moraes”

1. O objetivo do concurso é incentivar a leitura e a produção cultural de poesias.

2. Podem se inscrever no concurso todos os interessados da comunidade acadêmica ou externa.

3. Os interessados podem inscrever até três poemas originais e de própria autoria com até 30 versos sobre qualquer tema.

4. Os autores devem escolher um pseudônimo não relacionado a seu nome real que será associado ao poema. Os nomes dos autores só serão divulgados se forem um dos ganhadores do concurso.

5. A inscrição pode ser feita até o dia 12 de novembro por e-mail ou na Biblioteca, com Neusa ou Fátima, das 8 às 11h e das 14h às 19h. Para a inscrição presencial deve-se trazer o poema em arquivo PDF. Para a inscrição por e-mail, o arquivo em PDF deve ser enviado para unesp.vinicius@gmail.com, sendo incluído no corpo do e-mail o nome completo do autor, o pseudônimo a ser associado a seu poema e pelo menos um telefone para contato.

6. Os poemas inscritos serão expostos no hall da Biblioteca e publicados na página da Biblioteca no Facebook a partir do dia 18 de novembro e poderão receber votos e curtidas até o dia 25 de novembro.

7. O número de votos de cada poema será contado somando o número de “Curtir” recebidos na página do Facebook e o número de votos recebidos na Biblioteca durante a exposição das obras.

8. Serão premiados os autores dos três poemas mais votados recebendo um livro de poemas de Vinícius de Moraes.

9. Os ganhadores serão divulgados em nossas redes sociais, no hall da Biblioteca, e serão contatados pela nossa equipe.

10. A premiação ocorrerá durante o Sarau Artístico que será parte da programação de comemoração do Centenário de Vinícius de Moraes no dia 27 de novembro, às 18h, em frente à Biblioteca. Os ganhadores deverão estar presentes ou indicar um representante para receber o prêmio. Se o ganhador não estiver presente e nem seu representante, o prêmio será sorteado entre os participantes do Sarau.

11. Ao se inscrever, o participante aceita automaticamente este regulamento.

12. Quaisquer dúvidas, casos omissos ou decisões que vierem a ocorrer serão resolvidas pela comissão constituída para este concurso.

Anúncios

Dia da poesia – 14 de março

Comemorando a data, a Biblioteca decidiu fazer na última semana do mês um varal de poesia. Você pode ler algumas poesias aleatoriamente e conhecer/revisitar nosso acervo de literatura. Embaixo do varal há alguns exemplares da nossa coleção poética. Aproveite para deixar no varal, ou mesmo aqui no Biblioblog, seu poema preferido, seu autor preferido e, melhor ainda, poesia(s) de sua autoria. Compartilhe conosco seus escritos, receba elogios (ou críticas), ganhe admiradores.

O Varal é parte do nosso projeto de incentivo à leitura, para crianças, jovens e adultos. Nossa equipe está preparada e disposta a ajudar você a encontrar o livro que procura, seja para aquele trabalho que o professor solicitou ou a prova que se aproxima como também, claro, se você está com vontade de levar um livro especial para ler no horário de descanso. Hoje é sexta-feira, dia ideal para escolher um título para o fim de semana.

No campus de Bauru, podemos encontrar vários poetas, um deles é o professor João Batista Chamadoira, do Departamento de Ciências Humanas. Em 2009, Chamadoira publicou o livro “Poesia e Prosa”, com poemas, crônicas e contos, mas o gosto pela literatura começou muito antes, já na escola, o que acabou estimulando-o a cursar Letras na USP, se aperfeiçoar e se especializar na área. Entrevistamos o professor para conhecer melhor sua relação com poesia.

Como é a sua relação com a poesia, desde quando escreve?
Sempre gostei de ler, fosse o que fosse. Meu professor do colégio me motivou muito a escrever nas aulas de redação. Escrevo poesia, prosa, desde o tempo do colégio. Tive textos meus, contos, crônicas publicados no Jornal da Cidade. Até uma redação sobre o Dia das Mães ganhou um concurso e foi parar no Jornal da Cidade. Escrever é um desafio, é um jogo delicioso, seja poesia ou prosa.

Dizem que a agonia é essencial ao artista, ela foi importante para lhe dar inspiração?
Se existe agonia, é a de viver, agir, e se não temos condições de concretizar nossos desejos, que venha a fantasia (que é outra realidade ) para compensar.
Na verdade, não creio em inspiração como condição para escrever. É preciso ter
vontade, necessidade de dizer alguma coisa, inventar, e, sobretudo ter competência.

Em seu livro, Poesia e Prosa, há vários poemas para a mulher. Foi inspirado por uma musa específica, ou foi pelas musas, a musa idealizada?
Claro, sempre passam mulheres pela nossa fantasia, pelo coração e pela mente. Sempre há uma mulher na história. E não é musa idealizada, mas é ela mesma que desperta a vontade de escrever. É como, creio, se eu falasse com ela. Agora, cada um tem seus critérios. Muita gente teima em que existe inspiração. Acho que não. Se fosse assim, seria uma ótima desculpa para quem não escreve: é só dizer que não é ou está inspirado. O que é importante para escrever poesia, contos, romances (comecei um e desejo continuar e terminar) é o repertório, o conhecimento linguístico e de vida.

O senhor acredita que a poesia tenha um papel diferenciado no incentivo a leitura?
Creio que a poesia não é um texto que seja muito lido. Até, você deve ter reparado, há muito mais leitura de prosa do que poesia. Mas pode-se aprender poesia com poesia. Creio que é mais motivador para a maioria das pessoas ler textos em prosa. É mais fácil, o texto não exige tanta leitura.

Não deixe de visitar nosso varal e os títulos expostos para também se envolver com poesia.